Olá criaturas de floripa,

Ontem conversávamos ao som de “Him” em um boteco no centro de Floripa sobre como escolher uma boa cria. Por vezes o vampiro se torna só e esse papo de que existem mansões abandonadas povoadas por colônias de chupadores de sangue é lenda, quem diabos gosta de viver na sujeira?  Eu não posso dizer a quantidade certa de vampiros nesta cidade por motivos óbvios, mas é diferente do que se vê em séries como “Hellsing” e afins. Por falar em Helsing, conheci ela ontem e estou gostando muito, engraçada…

Quanto a questão da cria é simples, você precisa conhecer um vampiro e se mostrar muito importante em sua não vida. Há quem indique que um bom vampiro é aquele que iniciou sua morte sendo transformado inicialmente em Ghoul, ou seja, não foi mordido e passou pelo “ritual” antes de beber sangue de seu mestre. Eu por exemplo, já tenho minha cria, como já disse em posts anteriores e tenho minha namorada que é minha escolhida. Um vampiro pode ter quantas crias quiser, ou quanto sua paciência permitir.

Ter uma cria é o maior compromisso que um vampiro pode ter. Tudo que essa criança fizer é de responsabilidade de seu mestre, é preciso lembrar que para um vampiro crie outro é necessário pedir  para o seu senhor. Claro que atualmente as coisas estão um pouco diferentes. Muitos se acham no direito de sair por ai procriando, mas os últimos de que tive notícia desse ato foram punidos com escarnificação e morte da criança.

É contra as regras transformar crianças, doentes ou ineptos em vampiros pois eles não tem opção de escolha e defesa.

Ter uma cria dentro de um clã é ter um contrato com o ancião e com seu senhor, “caso uma “criança” pratique ações que ameacem a segurança dos outros membros a responsabilidade cairá ao seu senhor. Este deve avaliar com cuidado a sua maturidade. Se a criança tentar trair a família e ameaçar a máscara, cabe ao senhor impedi-la. Enquanto ainda for uma criança da noite, um vampiro não possui direitos, apenas deveres”. Assim prega o livro sagrado…

Eu acredito acima de tudo no bom senso, meu clã como já disse não é tão ligado as tradições, mas elas servem por base para a sobrevivência. Em época de guerras como já existiram, essas tradições ficam de lado e a procriação se torna uma necessidade, uma segurança. Muitos clãs não respeitam as tradições e estão de lado em nossa sociedade, é desses vampiros que você deve ter medo…