Um padre vampiro

– E se Deus aparecesse hoje aqui na tua frente, na forma de um qualquer, que pede uns trocados, ou na forma de um cão abandonado, ou ainda na forma de uma tampa de um bueiro, que minutos antes vocês passar foi fechada por um operário e isso te fez ganhar mais alguns segundo de tempo na vida. Você saberia dizer se foi Deus ou acharia que são apenas situações cotidianas?

H2 estava inspirado naquela noite e quem sou eu para cortar o barato de alguém que chegou a ser padre e caçou muitos vampiros ao longo de uns sessenta anos de vida? Porém Franz não pensa da mesma forma que eu:

– Para com esse papo de Deus ow… Esse cara se existir é um fdp e se tem alguém que fez a coisa certa foi Lucifer, que jogou a merda no ventilador e partiu pra criar seu próprio reino. Eu deveria fazer isso também!

Soltei uma gargalhada…

– Vai te comparar com Lucifer agora senhor marquês?

– Ué nada mais justo, maninho… Somos poderosos igualmente!

– Olha, se compararmos com o Lucifer dos quadrinhos do Sandman, quem sabe, mas não vejo muito empenho teu na montagem de um reino, se fosse assim Georg teria deixado o clã nas tuas mãos e não nas minhas… Masss já discutimos isso!

– Lá vem o vampiro brasileiro com papo de compromisso novamente…

–  Ué se não fosse por mim terias trocado todo o legado o Georg por putas e joias…

– Tem planos melhores?

Nesse momento H2 se retirou da sala e foi para a varanda. Pepe estava com fones de ouvidos e no mundo dela.

– Olha ai tá vendo, nem tua cria te aguenta as vezes…

– Não preciso agradar ninguém!

– Ótimos papo como sempre, vais lá pra casa do mato depois?

– Acho que sim, precisa de algo?

– Cara, tirando o fato que tu some e faço tudo sozinho com minha crias… Vai lá… Ahh aproveitando que terminou o treinamento inicial do H2, vou usar ele nos negócios, pode ser ou vai ficar com ciúmes?

– Ciúmes de cria? Se fosse uma gostosa… estamos falando de um velho padre, usa ele para o que precisar!

– Ahh e ow porra vê se me manda áudio as vezes. Responder com texto eu sei que tens preguiça e tuas unhas cascudas também não ajudam.

– Vai se fuder!

E assim começamos mais uma noite no clã dos Wullfdert. Já perceberam que está difícil lidar com o Franz ultimamente? Juro que paciência é uma virtude que preciso melhorar, mas ele me perturba pra caralho! Saudades da Eleonor pra dar uma acalmada nos ânimo dele.

Fui pra varanda e lá estava H2 com um terso em mãos, rezava e olhava para o céu como se estivesse falando diretamente com o seu próprio Deus. Ele parou assim que me viu e perguntou:

– Faz mais de 100 anos que vocês se conhecem, certo? Ele sempre foi assim?

– Mais de 150 e já foi pior (risos) As vezes acho que ele precisa hibernar pra dar uma relaxada, as vezes acho que ele é um adolescente que nunca vai ficar velho… são tantas possibilidades para explicar esse jeito dele. Nos últimos anos nem a Eleonor suportava mais, mas ela não é parâmetro… Mudando de assunto me conta como foi o treinamento!

Eu sentei na rede e H2 nos degraus, conversamos por uma hora. Em alguns momentos ele reclamou, noutros falou de Deus novamente e percebi ali como deve ter sido difícil o relacionamento de ambos e quanto Franz deve deve ter usado seus poderes mentais naquele new blood.

Ao final daquele papo, estava decidido a usar o poderes do padre em algum projeto, longe do Franz, só restava saber em qual…

6 Comentários

Eu não sou velho então não posso entrar nesse mérito. Mas já ouvi pessoas como vocês, dizerem que quando se vive por muito tempo, tudo ao seu redor tende a se parecer repetido e de certa forma, chato. Talvez o problema do Franz seja a tal velhice. O que só nesse mundo pode parecer novo para alguém com mais de 3oo anos? E quais as consequências disso? Querer só jóias e mulheres, ficar ranzinza… Só vou saber quando eu chegar lá, e se chegar…

Deixe uma resposta