Vocês já deve ter lido aqui ou nas minhas redes sociais sobre os vampiros urbanos e mais ainda sobre todos os tipos de vampiros. Que há sanguessugas de todos os portes, raças, credos, profissões e filosofias. Sim, filosofias, pois há aqueles que seguem as regras e aqueles tal qual os vampiros do meu clã. Os populares fora da lei, independentes, anarquistas ou como queira chamar aqueles que insistem em burlar as regras de todas as maneiras possíveis.

Havia acabado de me reunir com os administradores de uma das minhas empresas. Sou o investidor majoritário, então chamá-los para o meu quarto de hotel, protegido do sol, é algo plausível e fácil de contornar.

Fiquei puto pela queda nos lucros em dezembro, mas como todo mundo teve problemas em 2016, eu “respirei fundo” e mantive a estratégia.

Falando francamente, anos atrás eu deixava essas reuniões para o Sebastian e até entendo porque ele quis voltar ao mundo acadêmico. Haja vista, que lidar com esse povo carregado de planilhas e projeções é um verdadeiro saco.

Voltando ao mundo dos vampiros, aproveitei que Franz estava comigo e também marquei uma reunião com alguns vampiros do grande centro.

O lugar marcado foi uma loja de acessórios e roupas. Pequena, discreta e tranquila até o último raio de sol (dizem). Assim que as luzes dos postes se acendem um pequeno led vermelho é acesso próximo de uma porta, indicando a abertura do lugar aqueles que possuem convite.

O convite é enviado por whatsapp junto da localização e uma senha individual, que permite a abertura da fechadura eletrônica.

Ao entrar pelo corredor estreito, ao menos aqueles que ainda possuem olfato, percebem de imediato o sobrenatural. Difícil explicar o odor atordoante, tão físico e que desperta sentimento de amor, medo ou desejo simultâneamente.

A certo ponto as escadas penetram cada vez mais o subsolo e se expandem exibindo paredes de pedra crua e de pavimentação antiga. Alguns candelabros antigos de metal surrado pelo tempo, suportam velas de cera artesanal e aromatizadas com essências diversas vegetais. Dando um clima fresco e revigorante.

Depois de três ou quatro andares abaixo da rua passa-se por algumas portas e finalmente é possível ver o grande salão. Vários vampiros, bruxas e lobisomens interagem como se fossem humanos e nem preciso dizer que depois de muito tempo eu via Franz com aquele brilho no olhar. Tal qual nossas festas e encontros de uma época remota, onde ele ainda era responsável pelo castelo do Barão.

Engracei-me numa pseudo bruxinha e sai com ela a tempo de voltar para o hotel. Franz até onde o vi estava prestes a tirar a calça numa aposta…

I will live for a thousand years
I will live for a thousand years
I will live for a thousand years…