A morte de um mago – 2 de 2

Lá estava eu admirando minha caixa de madeira, no intuito de achar alguma fechadura. Não sei explicar, mas algo naquele compartimento me ligava a uma época maravilhosa de minha não vida e era praticamente impossível não ligá-lo a minha querida Su. No entanto, não via nenhuma fresta ou furo naquele bendito cubo de mais ou menos uns 30 por 30 cm, e antes que pudesse investigar melhor tal artefato, nossa atenção foi requisitada novamente ao ritual de passagem de Kieran.

“Todos em pé, por favor…” e eis que o ritual era retomado , o volume do som fora baixado e algumas tochas foram acessas. Neste momento, o sol já havia se posto e aos poucos algumas janelas eram abertas, junto do telhado móvel. Não sei informar se aquela movimentação do telhado e janelas era automática ou se usava magia, pois aparentemente não havia ninguém manuseando. No entanto, as tochas eram acesas uma a uma e de uma forma muito peculiar.

Não sei se eu era o único a reparar tal procedimento de bastidores, mas me senti encantado ao ver uma mulher com aparência bonita, na faixa de uns 30 anos, que simplesmente pegava as tochas em suas mãos, mencionava duas ou três palavras e assoprava o pavio. Depois disso, magicamente e cerca de uns dois ou três segundos depois, uma linda chama com cor rosa alaranjada assumia por completo a cabeça da tocha.

Bom, deixando de lado as particularidades, o ritual prosseguiu com mais alguns discursos. Amigos íntimos do mago proferiram breves palavras e ao fim de mais uma hora, a passagem iniciou-se de fato.
O altar em forma de cúpula, que recebera o corpo inerte de Kieran, estava forrado com uma fina e viçosa palha seca. Já o corpo do mago fora vestido um manto de ceda, muito decorado e de cor vinho, similar ao utilizado por seus discípulos. Próximo ao mago foram dispostos alguns compartimentos, estes vasos de barro marrom cru continham óleos e emanavam um suave aroma de laranjeiras. Árvore, aliás, que era a predileta de Kieran, inclusive cuja primeira muda, que foi semeada em seu santuário, fora presenteada por Suellen.

Na sequencia as cadeiras foram afastadas do altar e todos os presentes fizeram um círculo ao seu redor. A pedido dos discípulos nos demos as mãos e ouvimos, em sua maioria de olhos fechados, a prece celta. Isso ocorreu simultaneamente ao ritual de cobertura do corpo pelo manto branco, feito do mais puro algodão egípcio.

Após este simples ritual, o óleo das jarras de barro fora jogado em torno do corpo e o discípulo que até então apenas ministrava tudo, ficou de joelhos a frente do altar. Este erguera um pequeno cajado ao céus, dizendo em alto e bom tom: “Igne natura renovatur integra… Vá em paz meu mestre e senhor”.

Ao final da frase a pedra vermelha, que estava cravada no cajado, iniciou a emissão de uma forte luz vermelha, que ficava mais forte a cada momento. Depois de alguns instantes, quando a pedra parecia ter atingido o seu ápice de luminescência, o discípulo, tocou o corpo de Kieran, que ardeu numa explosão de luz e fogo com chamas altíssimas.

Todos os Wampir presentes incluindo eu, sentimos aquele arder em nossas frágeis peles. Porém graças à regeneração ou ao ritual, quase nenhum moveu pouco mais do que o simples piscar das pálpebras. Sim, estávamos totalmente hipnotizados com aquelas chamas fortemente avermelhadas, porém foram poucos segundos de apreciação até que finalmente restasse apenas pó do que um dia fora Kieran.

Não sei explicar, mas ao fim daquele ritual eu me sentia revigorado. Muitos dos meus pensamentos estavam digamos mais tranquilos e inclusive eu não conseguira ter outras recordações de Kieran se não apenas dos momentos bons. Tudo o que eu sentira de ruim ou pessimista, não cabia ao momento e muitos foram os que apenas se sentaram ou ficaram calados por alguns instantes. Aproveitando o que certamente era a melhor de todas as sensações, a de paz com o mundo e principalmente consigo mesmo.

Nunca saberemos o que Kieran ou seus discípulos haviam nos preparado em tal ritual de passagem, porém a sensação de paz nos acomete ainda hoje. Até mesmo Georg que quase sempre está sisudo, não consegue esconder os mais sinceros sorrisos por onde passa.

Depois das várias despedidas cada um tomou um rumo diferente e para minha surpresa Achaïkos veio falar comigo. Nossa relação nunca foi das melhores, no entanto, para minha surpresa o ritual também parecia ter tocado aquele coração, que há séculos imergia na mais profunda escuridão.

Quanto tempo não é mesmo? Disse-me o velho Wampir Grego, com seu inconfundível sotaque habitualmente estranho e sem precedentes. O respondi como sempre formalmente no meu alemão mais puro e seco, ou seja, normal.

Esta conversa apesar de tudo foi rápida. Ele ressaltou o contive para ir as suas terras e ainda disse que eu teria uma grande surpresa ao abrir a tal caixa que naquele momento estava em minhas mãos. Além disso, George também trocou algumas palavras com o velho ancião e logo em seguida partimos novamente para o aeroporto.

Desta vez Georg conseguira um voo particular e viemos com todo o conforto possível na volta para “casa”. Durante a viagem eu tentei abrir a caixa das mais diferentes formas possíveis, porém em meio às diversas turbulências daquele voo e depois de uma ou duas horas, resolvi tirar um belo cochilo. Sendo acordado apenas quando chegamos ao nosso destino.

Hoje, ainda estou aqui na fazenda e nessa bendita missão de abrir a agora “famosa caixa”. Confesso que já passou pela minha cabeça: atirá-la ao chão, quase usei um serrote e até mesmo uma marreta frequentou meus pensamentos… Não sei se foi Kieran que a lacrou, mas com certeza quem o fez, queria garantir que eu somente a abrisse em algum momento muito especial… Alguém de vocês me sugere algo para abrir esta caixa, que aparentemente possui apenas alguns “kanjis” entalhados em alto relevo?

70 Comentários

Ou talvez ainda não seja a hora certa para voce abrir.
Pois quando for, voce certamente encontrará ou saberá a forma correta de abri-la.
Ai….não sei mais rsrs ^^

Bjoks ;*

Talvez a be tenha razão talvez não seja a hora certa de abri-la querido espere, sei que a curiosidade te acomete mais talvez deva ser isso mesmo tambem não sei mais o que te dizer ,…..

Mais uma vez a palavra que vem a minha mente é Fascinante.

Ferdinand sou lhe muito grata, por me fazer sentir dentro de tua bela história.

e sobre a “famosa caixa”. tu saberás a hora certa como que por intuição,a mesma se abrirá, no momento que tu menos esperar.

Aguardo ansiosa pelo desfecho da tua história.
Mit Liebe,
Sue.

Boa Noite á tds!
Ferdinando sua historia é facinante!
Sobre a “caixa”, ate onde entendo de feitiços, é bem provavel qe ela tenha deixado alguma Pista pra vc d como abri-la ( alguma carta, anel com alguma gravação, um Lenço, um perfume que ela gostava) e por ai vai….

olá Ferdinand como dissem tudo tem sua hora, e seu tempo certo.voce vai descubri o tempo e ha hora certa de abri sua caixinha magica. mais o que me chamou atenção nessa historia é que o ACHAIKOS sabe o conteudo da caixinha.

ola ferdinand olha conconcordo com luciana.! breve voce sabera quando abrila a caixa pois tudo tem sua hora certa e o moumento certo vc sabera como agir bom so resta esperar meu caro vampir..quem sabe vc nao seje preciso abrila pois quem sabe, se for feixada com magia o encanto da magia irar se desfazer no moumento certo . bjss

Concordo com as meninas..provavelmente não é o momento certo pra você abrir, talvez seja uma questão de necessidade, isto é, será revelado no momento em que realmente fazerá diferença pra você Ferdinand, e para a sua vida.

Uma ótima ideia colocar o áudio Ferdinand, por que sempre é muito bom poder ouvir sua linda e sensual voz..bj

Sei qe é um MOMENTO TRISTI,
meus Pessames! Mais mesmo nos momento tristi sua Voz e sexy sim!

Pois é….Bom dia mortais e imortais !
Ou melhor, boa tarde 🙂
srsrs
Daqui a pouco minha semana fica agitada e aí só posso voltar semana que vem =(
Então juizo a todos e cuidem-se!^^

Bjokss ;**

Agora me confundi..na parte 1 Ferdinand comenta: “Depois que a abri, tive muitas surpresas relacionadas a Suellen…”.

Ferdinand, eu não sei o q de fato este nobre magista ensinou-lhe mas…. seria bom relembrar suas palavras e quem sabe até fazer uma “viagem” por certo que isto o ajudará com a caixa e com seu digamos “conteúdo”.

Ps.Ignem Natura Regenerando Integrat; Igne natura Renovatur Integrat; e Igne Nitrum Roris Invenitur.

No fim do dia, os vivos e os mortos são os mesmos. Estão apenas procurando um lar.

Boa Noite ah todos!
E ai Ferdinand alguma noticia da “Famosa Caixa”??

Verdade Lady…tá deserto aqui!!
Nem o Ferdinand dá o ar das gracas…será que aconteceu alguma coisa? Faz um tempão que ele não se comunica.
Beijos.. e uma boa tarde…

Saudações às Damas e Cavalheiros, boa noite.
Primeiramente, Senhor Ferdinand, minhas condolências pela passagem de vosso amigo.
Não pude deixar de notar, no entanto, o comentário da Dama Nix, a respeito da frase:
“Igne Natura Renovatur Integra” ou (I.N.R.I), Não confundam, por obséquio, com a definição romana.
Peço vossa licença para ousar expressar-me, redigindo um pouco sobre a frase acima:
A chave/sigla I.N.R.I, é utilizada, também, como identificação entre os Cavaleiros Rosa-cruzes, e vem da própria iniciação no Grau 18. O símbolo deste grau é uma rosa contornando a Cruz. O símbolo da Cruz, neste caso, é Imortalidade, Auto-sacrifício e Santidade. O símbolo da flor da rosa é Amor, Segredo e Fragrância.
Unindo os dois símbolos, temos a definição do juramento prestado no grau 18 : Amor do Auto-sacrifício, o Segredo da imortalidade e a doce Fragrância de uma vida santa – Neste caso, devemos considerar a santidade como o sutil. Pois, os sacerdotes, na cultura Egípcia Antiga (Ancient Kemetic) eram pessoas que possuíam o “dom da manipulação sutil”, por assim dizer. Muitos dos rituais antigos de iniciações nos graus sacerdotais, eram feitos com base na morte e renascimento do iniciado.
Esta chave, nos leva na seqüência, a outra chave, que, de igual forma, define o corpo da cruz, L.V.X, muito utilizada no meio ocultista, como assinatura, e muitos atribuem isto a palavra do Latim “Lux” (Luz). Em verdade, no entanto, a transliteração, embora pouco conhecida, seria: L, Luto de Isis ( Osíris morto por Set). V, Apophis Triunfante ( a regra da morte). X, Osíris Ressuscitado (morto-ainda-vivo). Por tanto, LVX significa “Que possas tu, morrer e renascer, na ilimitada luz das divindades”.
Em outra forma de entendermos, temos a definição hebraica da sigla I.N.R.I. Neste caso, atribuem-se elementais às letras. I, de Iam = água (letra Mem). N, Nour = fogo (letra Shin). R, Ruach = ar (letra Aleph), I, Iabeshad = terra (letra Sod).

Oioi gente!
Meus pêsames Ferdiand, mas não deixa de ser uma bela historia. Está entretendo mais e mais suas leitorAs e leitores rs.
Samuel Heiderich, excelente aula sobre historia e o comentado!!

Muito bem samuel pra que não sabia ou tinha mais ou menos a idéia ficou bem mais claro agora ,.. Valeu pelo comment,….. E realmente ferdinand está bem sumido mesmo há tempos não aparece no site ou no face e falando em face galera parece que a página onde nós postamos nossas publicações foi retirada pois não vejo mais nenhuma das que foram publicadas… Besoa todos…

Boa Noite ah Tds!
NOSSA Samuel Parabens!
Garanto que agora tds entendem mto bem! E cade nosso querido Ferdinand?
Bjus…

Oiii babys! Ferdinand sempre se superando em suas histórias… Continue assim gato…

Por isso qe te amamos!
Stais sempre presente, mesmo longe!
Boa Noite!
Bjus….

norsa ferdinand estamos aguardando este moumento expledido ! que bom que a caixinha misteriosa abriu.. bjs!!

Ferdinand, vc n me respondeu……

COMO VIRO UMA VAMPIRA?!

to anciosa a esperar sua resposta!

espero anciosa para saber o conteudo da tão misteriosa caixa.

ta na cara que você tem que usar magia para abrir a caixa !!! ajuda estou aqui…

Igne natura renovatur integra = Vidas inteiras sobre a natureza do fogo

da uma ideia do que seja.

Adorei todas as histórias descritas aqui e achei o site atraves de um amigo…Acho que nem preciso dizer que sou fascinada por vampiros e ocultismo rsrsrs. Espero ansiosamente mais posts 😀

Eai, vai lançar ou nao esse fim?!

Oque tem dentro da caixa?!

E o livro!

Levando-se em conta a quantidade de seres que existem só neste mundo e todas as minha idas e vindas por ai, te digo que a chance é mínima. Todavia, não sei do que será de mim amanhã e quem sabe alguns ventos possam me soprar para perto de ti…

Que pena, queriam tanto lhe conhecer!!

Mas, com a sorte do destino talves poderei lhe olhar e admirar um Wampir de perto!

Mas nao pode ser qualquer um nao!
Tem que ser voce!

Toda minha vida eu quis encontrar um vampiro , mais não sei se é realmente que eu quero neste exato momento, mais se algum dia acontecer, pra falar a verdade eu nao sei o que eu faria , se correria se ficaria com medo , pois digo também , será que algum humano já fez uma pergunta como essa pra um vampiro , tipo essa que eu vou fazer agora ,e vcs vamps o que fariam ao me encontrar ? ou qualquer outra pessoa aqui do blog coso isso venha realmente acontecer ?

Bom poderia descrever esta tal Suellen para nós Ferdinand ? Pf… Ou a mesma poderia nos fazer esta gentileza ?! Aguardo respostas Beijos ;*

Bem-vinda! A Suellen é muito importante para ser descrita em poucas linhas neste site. Nossa história foi longa e até hoje é difícil esquecer daqueles lindos olhos azuis claros, de sua pele macia roseada e de suas longas madeixas louras…

meus pesames caro galego, desculpa pela demora, porem devo lhe dizer como as(os) outras(os) seguidoras diceram, porem se me recordo na caxa a lembranças de sua familia mortal, como dizia ne outro post. Caso n seja isso ja descobris-tes o que e.

faz muito tempo que eu não entro então eu estou meia perdida e creio que o que ele encontrou nessa caixa o ajudou muito ……. a solucionar algumas coisassss de seu passado ,,,,,