Espírito: descarrego – final

Salvo algumas impressões iniciais e a intenção de que seria necessário fazer um descarrego em mim. Jaciara se mostrou uma pessoa/lobisomem bastante seca e concentrada. Sabe daquelas que não riem com qualquer piadinha e que não entram em discussões se não for para bater o martelo?

Teimosias e jeito ríspido a parte, deixei ela com Carlos e Vera. Eles aproveitaram para pôr o papo em dia e eu resolvi me concentrar nos negócios. Apesar do espírito, estando ele agarrado em mim ou não, o mundo continua a girar.

Liguei para Franz, que estava pelos EUA, não comentei nada sobre o descarrego ou possessões espirituais. Apesar disso, ele deve ter sentido meu tom de voz diferente e perguntou se estava tudo bem. Fugi do assunto e foquei no que precisava falar:

– Sabe que daqui umas noites vamos ter aquele encontro do nosso clã?

– Sei… (pausa dramática) tu ainda queres acordar a Audny, por causa do pedido do Georg, ou já superamos isso?

– Eu fico com o pé atrás de não seguir o que ele tinha deixado proposto pra gente, mas só rola não fazer isso se for uma decisão conjunta do clã.

– Nós dois tu queres dizer? Nenhum dos outros, nem o Sebastian está mais focado no clã.

– Olha é um papo que podemos ter, quem ainda faz parte do clã? Você, eu… H2 e a Pepe. Sebastian e os outros tão fazendo o que de importante que as vezes nem respondem mensagens de “oi”?

– Tá entendi maninho, é um papo pra colocar o pau na mesa e falar quem manda nessa porra?

– Caralho, não Franz… é pra ver se a gente se une em prol de algo de novo. Senão eu sinto que só cuido dos velhos, das fábricas e do dinheiro. E todo o resto? Eu passei os últimos tempos com o Carlos, sabe o meu irmão? A matilha deles é super unida… (fui interrompido por ele)

– Puta que pariu, vai vir de novo com esse lance de matilha, as merdas que os peludos fazem e tudo mais, brother?

– Não cara, eu tô puto de fazer tudo sozinho, você tá me ajudando mais com as reuniões, a Pepe e o H2 também, mas e os outros?

– Tá entendi. Nos falamos em breve então… não precisa de mais nada mesmo?

– Não! Nos falamos em breve!

Foi uma despedida bastante seca da minha parte. Refutei a ajuda dele na questão do espírito e segui fazendo meus afazeres. Estava puto pela conversa, mas era algo que sondava minha cabeça e precisava por pra fora. Pensei em pegar uma motinho de trilha que tenho na fazendo e dar uma extravasada, mas ao sair do escritório fui surpreendido pela Jaciara.

Que venha o descarrego

A lobisomem estava com outra roupa, um vestidinho florido que realçava ainda mais seu corpo magro e atlético. Rolou uma troca de olhares, mas antes que eu pudesse me manifestar ela segurou meu braço esquerdo com a maior força que tinha e praticamente me arrastou pra fora de casa.

No lado de fora Vera e Carlos nos aguardavam. Ao me ver Carlos foi logo. Me tranquilizando:

– Pedi pra Jaciara te chamar, acho que ela entendeu “puxar”.

Ela completou:

– Achei que o vampiro ia se enrolar e quero terminar logo com isso.

– Caralho moça, era só ter pedido que eu vinha – Desabafei meio puto.

Vera preferiu ser objetiva também:

– Pelo o que conversamos vai ser rápido. Trabalhoso, mas rápido. Por favor sente-se ali Ferdinand. Ali dentro daquele circulo – Apontou.

– Segura essa caixa e essa tampa ai. Teu único trabalho vai ser fechar ela quando for o momento certo. Você vai saber quando – Falou Jaciara.

Sem mais delongas eles começaram uma dança. Carlos começou a entoar um cântico ritual, algo do tipo “Hey hey hoaa… hey hey hoaa…” e foi seguido quase que de imediato pelas duas. Em determinado momento da dança eles tiram as roupas. Depois percebi que eles começaram a se transformar e em alguns instantes eu estava ali, rodeado por um Lican meio canino e duas com feições felinas.

O sentimento de nervosismo ou de fúria surgiu em mim. Porém, não tive vontade de se transformar tal qual eles, era mais como se algo me incomodasse… como se houvesse algum órgão doendo… como se eu estivesse com cólicas… como se o espirito estivesse se revirando…

Tal sensação se ampliou a ponto de eu querer me transformar… Sim, os meus genes Lican ferveram! Veio a vontade de pôr algo pra fora. Veio a vontade de virar uma besta feroz igual a todos ao meu redor! Transformei-me e uivei! Talvez tenha apavorado os Ghouls da fazenda.

Dizem que um vampiro que possui genes Lican tal qual eu, se transforma em algo próximo das bestas Licans, talvez uma versão menor e mais dentuça. Talvez com asas de morcego ou feições próximas. Dizem! Sei que me senti próximo deles, dos seus rosnados e da suas danças.

E o tempo passou devagar naquele transe, como se algo me controlasse e mais do que isso, como se o descarrego estivesse ocorrendo em mim. Instantes depois eu sabia que estava liberto. Entendi que eles me observavam e que ali seria o momento de fechar a caixa. Sem jeito, como se fosse um gigante manipulando uma miniatura eu o fiz. Prendi Ari, como os caça fantasmas fazem nos filmes e fiquei tranquilo. Calmo e pacato a ponto de relaxar e voltar a ter aparência humana.

O calor dos nossos corpos fazia o sereno evaporar da gente. Nus, nos entreolhamos. Dei uma leve risada, lembrei do vídeo/meme da Jéssica e comentei.

– Já acabou Jaciara?

15 comentários

  1. Oi!!! Primeira vez que comento aqui,mas já faz uns 4 anos que acompanho o blog. 😊
    Bem que podia ter o final – parte 1 e 2 né?! Sanar curiosidades faz bem!!!😅

  2. Ahhh mas ninguém soube realmente o que esse espírito queria … Terminou tudo muito rápido rsrs mas ainda bem que terminou bem rsrs porque pra um espírito ficar na tua cola algo ele queria ou precisava te passar uma informação… E como eu já suspeitava, lobisomens podem sim ter mais de uma forma … !

    • Será que foi vingança de alguma namoradinha ou alguém que me odeia? Será que paguei os pecados por algum conhecido? Realmente queria poder entender também por que fui para-raio de um espírito.

      • Se me permite dar um palpite Fe, é de se suspeitar que possa ter sido algum tipo de vingança sim, porém acho q foi mais pra te dar uma perturbada entende?, você não acha que pode ter sido também algum tipo de carma ou algo do gênero?

        • Essa questão do carma é interessante e pode ser viu. Todavia, por causa da minha proximidade com o Carlos e sua matilha tenho circulado mais pelos ambientes onde os espíritos circulam. Consequentemente, estou mais suscetível a tais ataques. Pelo menos se acontecer novamente já tenho a Jaciara pra dar um Help. (mesmo com ela sendo uma Ogra rss)

          • Haha pelo menos isso né, ter uma ajuda de alguém com experiência como a dela é sempre bom!, escuta fe eu costumo sempre reler algumas historias “antigas” no blog e me veio uma curiosidade, em relação ao treino da Pepe, você concluiu?, como ela esta?, você planeja ter mais alguma “cria” como você costuma chamar?

          • Humm boa parte disso vai ser respondido num próximo post… Aguarde!

      • Oi! Por aqui tá tudo ok e por aí?
        Desculpa por não ter especificado, mas minha dúvida era sobre o fim que a história teve!😅
        Mas fiquei feliz de você ter ficado bem!😁

      • Bom muitas vezes, ao longo de nossa vidas colecionamos desafetos, e em consequência disso pode sim as vezes ter sido algo do tipo, uma maldição ou esse espírito queria algo ou ajuda para desvendar um mistério … Ainda tá muito vago rsrs digamos, a gente nunca sabe o que um espírito quer que façamos para eles ou suas reais intenções conosco… Mas vc nunca teve assim alguma memória ou algum acontecimento no seu passado no qual esse espírito ou pessoa tenha participado ?

        • Pois então, depois de um tempo a gente bloqueia alguns acontecimentos do passado… Ainda mais quando o fator “tirar vidas” se torna comum ou banal. Apesar disso, não. Ari, não foi uma das minhas vítimas de quando precisei me alimentar, nem tampouco de quando passei um tempo com o Doutor. Ao menos que eu me lembre…

      • Bom, a minha impressão é que ele estava preso ao local do desencarne e precisava de ajuda. Pois, ele pediu o seu auxílio e não disse palavras de ódio. Geralmente, quando os espíritos tem pendências e estão atrás de vingança. Eles são bem, bem digamos bravos e ardilosos. Digo por experiência própria. Hahahahah.

        Com o upgrade que obtive… Uma das coisas que tenho muito cuidado é em relação ao vínculo energético. Esse laço é como se fosse uma linha que liga ambos os seres e é alimentado principalmente através de pensamentos… Pois, isso acaba trazendo a energia do outro ser (Encarnado ou não) para o dia a dia.

  3. Ummm pois, então pelo o que eu li deve ser uma vingança pra tira teu foco porque quando estás coisas acontecem com a gente a gente fica meio aéreo, sabe pensativo, pelo menos comigo e Angelique foi assim … Mas no teu caso até acordado ele te perturbava, ainda bem que isso acabou … Por enquanto

Deixar uma resposta