Espirito: pensamentos – pt3

Anoiteceu. Acordei, levantei e fiquei por um tempo remoendo os pensamentos sobre o sonho/possessão que ocorrera. Sabe aquela impressão “Foi muito real”? Pois é, e em função disso chamei Carlos e trocamos uma ideia por alguns minutos. Em meio ao nosso papo Pepe apareceu com uma caixa e para minha surpresa lá estava um conjunto de ossos.

– Hey garota como isso? Assim fácil?

– Olha, na verdade não… Dei uns beijos num carinha lá e em seguida me alimentei dele… relaxa não matei… e não tinha câmeras lá no depósito.

– Olha ela tão crescida que orgulho pro pai! (risos)

– Aff que desnecessário! Mas olha ali, tem pouca coisa, só o crânio e maxilar meio quebrados e alguns ossos maiores, será que resolve pra algum ritual ou coisa do tipo?

– Ahh deve resolver… Cara que falta o Zé me faz! Ele que era extremamente ligado nessas coisas, pensando bem… deixa eu ver o que o Hadrian está fazendo.

Mandei uma mensagem para o vampiro e imediatamente ele me respondeu. Disse que ossos e almas não eram seus estudos, mas agradeceu pelo contato. Disse que estava com saudades desses meus “pasatempos”.

Carlos, por outro lado, demonstrou interesse e gostou da ideia de viajar até a nossa fazenda. Desde então fiquei aguardando sua chegada, até que ele apareceu por lá junto de Vera.

– Veja só quem aparece por aqui!

– Belo lugar meu irmão… espera aquele filtro dos sonhos ali é aquele?

– Simm, aliás tem mais coisa aqui, lá da casa dos nossos pais. Entrem, estão com fome?

Pensamentos: Irmãos

A noite foi diferente. Carlos interagiu bastante com Pepe, que inicialmente ficou receosa pela proximidade de um lobisomem em nossos domínios. Coisa que passou rápido em virtude das habilidades comunicativas dele. Nem parece mais aquele cara pacato, tranquilão e meio perdido nos pensamentos da adolescência.

No dia seguinte, enquanto dormíamos, os lobisomens deram um rolê pela região. Vera queria ver a variedade da flora e fauna, enquanto Carlos passou um tempo revendo os artefatos que eu havia preservado e fazia alguns contatos com seus chegados.

Acordei cedo, o sol mal havia se posto e tratei de me encontrar com eles. Ambos pareciam turistas em meio a um ambiente novo e diferente da sua realidade amazônica. “Vamos levar algumas mudas, algumas sacos com aquelas pedras. Olha, olha! Acho que são ossos de um tamanduá…”Disse Vera empolgada.

– Acho que estou ficando velho e sentimental, me peguei por alguns momentos do dia revendo as coisas lá do sítio do pai e da mãe. Por que não me disse que ainda tinha isso mano?

– Estava guardando pro dia que viesse pra cá. Viu aquela caixa ali? Acho que era uma das tua geringonças…

– Clarooo, isso a mãe usava para apoiar o ralador de queijo… Acho que vi um parecido na cozinha?

– Nossa, chegou a ir na cozinha também!

– Tu esqueces que a gente come ne!?

– Verdade! Hey, hoje conseguimos falar daquele assunto?

– Sim, a Vera preparou um espaço lá fora, longe dos olhos dos teus criados.

– Bom, muito bom! Vou resolver algumas coisas e lá pelas 22h nos encontramos por lá?

Outro ritual

Carlos concordou e eu voltei para o meu quarto/escritório, onde tratei dos meus assuntos. Perto da hora marcada fomos para o local preparado por Vera. Pepe também nos acompanhou e tão logo chegamos, já vestidos com os trajes recomendados, o ritual foi iniciado.

Vera acendeu a fogueira, enriqueceu seu fogo com algumas ervas e pós. A determinado ponto ele ficou verde azulado e foi aí que entramos na névoa. Desta vez foi difícil de se locomover, o ambiente estava muito denso e no início até mesmo a comunicação parecia estar em câmera lenta e havia uma certa bagunça em nossos pensamentos. Situação que normalizou depois de um tempo por lá.

“Ali” – Comentei para os demais.

“Finalmente veio ao meu encontro Fer-di-nand. Obrigado!”

3 comentários

  1. Que incrível Fe, se houver uma parte 4 lança ela o mais rápido que você puder, to ansioso pra saber a continuação disso tudo ksks, uma dúvida particular minha que não tem muito haver com essa historia mas me veio do nada quando você citou que os lobisomens foram dar uma volta pela região, existe alguma maneira de se transformar em um? ou você simplesmente nasce assim?, acho os lobos também muito mais muito fascinantes, você poderia falar mais sobre eles quem sabe… Abraço Fe!.

  2. Nossa tá ficando cada vez mais empolgante … Ahhh o hadrian tive o prazer de falar com ele um dia, mas já fazem anos, cara que loucura isso tomara que vc consiga desvendar, eu acho que é algo muito forte pra esse espírito querer algo com vc Fer.

Deixar uma resposta