Status quo vampiro: intro – pt1

Nos últimos anos eu tenho passado muito tempo na fazenda. Certamente, foi o local onde a Pepe e eu nos sentimos mais confortáveis em passar um tempo, em especial ao longo da pandemia. Nela, guardamos nossos bens mais preciosos, os anciões hibernam no subterrâneo e há espaço suficiente para a prática de nossos poderes.

Inclusive, muitos dos aprendizados da Pepe tem ocorrido em meio as videiras, a conhecidíssima planta que gera a uva, no qual utilizamos uma parte para fazer vinho. Cabe aqui uma curiosidade! Tais garrafas por vezes nos servem como disfarce para meia dúzia de garras de sangue que sempre temos por perto para consumo próprio.

Certamente, o vinho é um hobbie, tal qual o reflorestamento. Este que formou a floresta que cobre boa parte do restante das terras e serve de abrigo para animas dos mais variados como pumas, lobos, macacos… Biologia, era um interesse muito íntimo do barão, no qual ele colocou em prática em tais terras. Talvez por isso nossa intimidade com esse local.

Outros espaços

Além da fazenda, nós possuímos outros espaços ao redor do globo. Já falei aqui das fábricas, já falei de um pub ou outro e até de alguns apartamentos. Apesar deles, acho que nunca comentei de um lugar especial que fica na Europa e este, tal qual a fazenda merece um detalhamento, pois foi palco de uma aventura pouco antes da pandemia.

Tal lugar é uma quadra em um centro urbano. Na parte acima da terra há prédios e comércios alugados e na parte do subsolo mantemos algumas garagens e salas fechadas para nosso uso. O lugar está longe de ser uma Bat Caverna, mas por lá existem algumas tecnologias, quartos confortáveis, no qual eu já utilizei no projeto “Escolhidos”. Lá também há alguns carros, motos e temos um certo acervo de armas e demais itens disponíveis conforme a necessidade.

Como este local é estratégico, eu não vou nem mencionar o país, mas digamos que fica no hemisfério norte. Onde obviamente leva-se um tempo para se chegar vindo do Brasil. Outro detalhe superimportante é que ali em tal centro urbano há uma sociedade de vampiros mais organizada, então é um ponto bastante estratégico para o clã.

Pois bem, aqui começa a introdução desta aventura. Algo que envolve bruxaria, magia e um vampiro amigo da época em que vivi em Berlin, chamado Julian. Este já foi o vampiro líder de Londres e depois de um tempo em tal função ele também tem se dedicado ao seu clã.

Movimentando o status quo

Semelhanças de gestão a parte, sempre nos identificamos e devido a proximidade de interesses e minha passagem pelo lugar, surgiu a oportunidade de trabalharmos juntos em algo que iria além de nossos clãs, algo focado na comunidade vampiresca. Tudo começou num papo em meus domínios com um membro dos regados, chamado Rudolf e aliado de Julian.

– Sei que ambos os clãs namoram ideais anárquicos, mas apesar disso sempre estão conosco em temas coerentes, como a proteção aos anciões e a convivência harmônica com os outros seres. E é por isso que peço ajuda a vocês com relação há um grupo de radicais que buscam a supremacia vampírica e querem movimentar o status quo.

Olhei para o Julian e soltei:

– Meu grupo é pequeno, o de Julian não é tão diferente… não seria o caso de vocês pedirem apoio dos mais influente?

– Esse é o problema meu jovem, esse grupo tem raízes na Europa, África e na américa do sul, estamos buscando alternativas para mitigar a influência deles nessas sociedades, haja vista, que percebemos membros dentro dos grandes clãs.

– Sei, senhor… E o quanto aos recursos do Regrados vai estar em nossas mãos?

– Yeah Yeah, o que está em oferta pra gente se meter nisso, cara! – Apoiou-me Julian com seu sotaque típico de Yorkshire.

– Fiquem tranquilos que a linha será aberta as necessidades dos senhores, naturalmente haverá benefícios em termos de visibilidade e território.

Olhei para Julian e acenei em favor de tal empreitada. Pegamos mais detalhes e depois da saída de Rudolf, tratamos de montar uma estratégia.

8 comentários

Deixar uma resposta

  1. Oie … agora vamos esperar para parte dois rsrs nossa achei muito interessante…Todo este aparato, todo este universo, escondido, ou nem tanto rsrs me lembra o filme blade… já assistiu fer ?

    • Mas é claro minha querida, primeiro filme da Marvel que conseguiu ótimos resultados no cinema. Dizem que foi o precursor que trouxe o sucesso deles no cinema. Quanto a história em si é muito fake o lance de um meio vampiro e que ainda possa andar durante o dia, além da fragilidade dos vampiros, que explodem e desaparecem em instantes … Vale pela diversão e efeitos rss

      • No contexto sabe, eles estavam em todos os lugares escondidos secretamente, atuando em vários setores, econômicos, políticos, em hospitais etc. Mas a parte de o Blade ser um hibrido é andar a luz do sol, é realmente fantasiosa mesmo, pelo o que já fiquei sabendo… e Fer em relação a luz do dia seria uma maldição ou castigo não sei … não existiria uma possibilidade, sei lá de ter um ritual ou algo que pudesse ajudar nessa questão ? Porque se foi Uma maldição ou magia teria lacunas ou alguma fresta que pudesse ser sei lá desfeito ? Sei que parece loucura mas, não seria de tudo uma loucura né rsrs se tiver um pouco de sentido ou se eu tô fantasiando demais, desconsidere este comment please.

  2. Como de costume esperando ansiosamente pela parte 2… ksks, algo que me deixou intrigado e bem curioso foi em um trecho onde vc fala do projeto “Escolhidos” não me recordo de você ter falado sobre isso aqui no blog, bem que você poderia contar mais sobre isso né rsrs, abraço Fe, como sempre é um prazer estar presente aqui lendo suas historias incríveis!.

  3. Hallo Schatz, ist so lange her. Hum, alles sehr interessant. Weiss du was ich schön finde eine Vampir zu sein!,ist die Möglichkeit wenn man kein bock auf die Menschheit hat, geht dann man für ein jahr zehnten schlafen. Oh , traumhaft. Warte wie weiter geht. Küsschen.

    • Hey Schatz! Willkommen zurück! Ja, die Ewigkeit ist eine tolle Sache… Und ja, jahrzehntelang schlafen ist auch eine tolle Sache. Aber ich denke jedes Mal darüber nach. Vielleicht ist das die eigentliche Herausforderung? Blut trinken ist nur eine einfache Sache. Meinst du nicht?

  4. Acompanhava esse blog no início da minha adolescência. Hoje estava limpando um pouco de sangue da parede (nada emocionante, no entanto), e lembrei desse site. Voltei pela nostalgia, mas vejo que sua escrita (sempre ótima) só melhorou com os anos. Eu como escritora aspirante tenho várias perguntas para você, mas por hora vou colocar minha leitura dos artigos em dia. O bom filho a casa torna, não é?