Uma Berlin triste

Cara, esse é daqueles posts desabafo! Vou falar de Berlin, vou falar de como fico triste falando da cidade… ainda mais depois do que ocorreu em meio a festa do prefeito vampiro da cidade e com minha doce Julie.

Então, se não quiser ler tais lamentos existem hoje outros 679 posts, artigos e histórias para ler pelo site 😉

Vamos aos fatos: tal qual alguns de vocês que leram o meu livro em andamento Ilha da Magia lá no Wattpad. Que modéstia a parte possui boas recomendações, a minha relação com Berlin tem muito amor e ódio.

A cidade me acolheu no final do século XIX, foi onde aprendi a maioria dos meus dons de sangue, onde tive meu primeiro casamento. Onde morei num castelo e conheci todos domínios e podres da sociedade vampiresca.

Num primeiro momento Berlin foi gentil e parceira, depois nos apaixonamos e tivemos um casamento próspero. Até que veio a maldita guerra franco-prussiana e com ela as dores de uma separação, que durou anos, para não dizer décadas.

Dela nós imigramos para o novo mundo, que é onde passamos a maior parte do tempo atualmente. Contudo, no meio daquele caminho tortuoso encontramos outros e alguns destes se tornaram amigos. Outros amantes e tantos outros escravos de sangue ou das “trevas”.

A famosa briga: Céu vs Inferno

O que falar desta briga de cima contra o de baixo, do claro versus o escuro, do puro versus o impuro, do divino versus o diabólico… São muitas as dualidades neste plano e a maioria de nós, me incluo nisso, tem mania de dar nomes.

Inclusive, neste ponto é necessário explicar mais sobre os infernalistas ou seguidores de alguma entidade diabólica. Aqueles que frequentemente surgem ema alguns mometos por aqui.

Para muitas das dualidades que citei anteriormente é mais fácil para o entendimento dos ímpios, citar Deus e o Diabo. Isso não é nenhuma ideia revolucionária e surgiu a milênios atrás, quando os homens perceberam que não podiam explicar tudo. Assim, de uma forma resumida jogaram para o infinito e além: os sonhos, o que ocorre após a morte, os desejos, as loucuras e tudo mais que não podiam explicar.

Nesse sentido quando me refiro aqui aos infernalistas, na maioria das vezes me refiro aqueles que de alguma forma destoam do equilíbrio, aquela famosa balança que mantém as coisas numa constante irregular de uma possível evolução.

Tá e a Julie?

Julie, foi uma que surgiu em meus momentos naquela fase de separação e por isso meu apego a seus lábios e a sua alma. Vampiros tem alma e já falei disso aqui, usa a lupa ali em cima para saber mais desta minha opinião. Portanto, a ver naquele jeito partiu meu coração inerte.

Aquela situação não me é nova, bem na verdade eu ponderei depois do susto inicial e lembrei que já havia a visto daquela forma em outra situação. No qual somente o tempo serviu para lhe curar, se é que os defeitos dos seus “poderes” tenham uma cura.

Algum tempo depois e já em nossa fazenda seu corpo parou ter movimentos involuntários, a “escuridão” foi-se e ela voltou ao seu estado divertido e descolado de sempre.

Berlin continua lá, muitos vem e vão por aquelas terras e meu julgamento sobre amor e ódio continua o mesmo. Talvez tal relação perdure ao longo de toda a minha existência, o importante é que o mundo gira e sempre haverá uma nova noite…

2 Comentários

O ser humano sempre será uma balança entre o bem e o mal, so temos q escolher q caminho seguir!
Espero q vc descubra oq aconteceu com ela naquele noite ou o culpado!

Sinto muito por você camarada… Não sei se é o barulho do piano com a cachoeira que tá tocando aqui no meu celular… Mas pra mim que li seu livro umas 3 vezes, me deixa até um pouco sentido vê você tocar no assunto e até mesmo dá um Spoiler sobre o futuro de Suellen e de seus próprios pais na prévia do próximo livro… Sem babação de ovo: Mesmo não te conhecendo pessoalmente, seu estilo de vida e sua forma de pensar me ajudou muito a ter certas sabedorias pra vida. Não só a sua, mas também de diversas outras pessoas menores que você e também maiores que você. As vezes fico até meio receoso de não comentar por aqui e tu acabar desanimando do teu projeto por falta de ”Feedback”. Mas sei que tu é um cara que não liga pra opinião de ninguém e vai até o fim, afinal você começou sozinho e mesmo não concluindo sua missão que é expor a realidade, você não vai deixar de pagar suas contas, ter uma vida boa e se alimentar bastante.

Deixe uma resposta