Poema enviado pela Rafizia, onde ela comenta em seu e-mail: “…Acho que ele fala de ilusão (não amorosa, mas em coisas irreais nas quais preferimos acreditar)”.

Vivemos do sonhar, do não despertar
Tentando nele, o impossível alcançar

Todos os dias meus sonhos me aprisionam
Tento fugir, mas meus pesadelos jamais me abandonam
Porque se tornam o meu refúgio, o meu abrigo
O adormecer passa a ser o meu melhor amigo

Para que mergulhar,
Se afogar na ilusão?
Para que querer não acordar
E para que tentar se manter na escuridão?

Volte para a realidade
Antes que seja tarde
Procure, tateie pela verdade
Não se torne escravo da irrealidade

No fundo, este não é o nosso desejo
Perder-me em meus pensamentos é o que almejo
Minha mente já obedece meu coração
Que prega a emoção e descarta a razão.

Eu aceitei ,minha condenação
Mas quando acordo, reconsidero essa decisão
Porque quero o conhecimento
E por causa dele estou ferindo meus imaginários pensamentos

No fim das contas, quero acordar do mundo que não existe
Abandonar o sonho que ainda insiste
Em tentar curar
Os problemas que não posso sanar