fbpx
Ferdinand

Ferdinand

Nascido em 1827, foi transformado em vampiro com 25 anos em 1852, enquanto ainda vivia na pequena cidade de Nossa Senhora do Desterro, atual Florianópolis, Santa Catarina – Brasil. Criou este site em 2008 com o objetivo de divulgar as ideias do seu clã, instituição fraternal em que ele, seu mestre e alguns amigos mais chegados pertencem. Está quase sempre bem humorado e nos últimos anos possui um projeto chamado “Os escolhidos” em parceria com sua cria mais recente, Pepe. No qual eles “ajudam” a polícia e a sociedade na resolução de crimes hediondos. Ferdinand também ocupa suas noites com a escrita e tem trabalhado no livro Ilha da Magia.

Relatos de um Lican

Guy Moore wipes his hands

A lua já sorria no céu, como aquele gato doido do Alice in Wonderland, manja? Nem preciso dizer que isso me animou, apesar de que a lua não me afeta muito. Os velhos contam que alguns licans são afetados pela…

Uma vampira peculiar 

photo of an old woman

Como vocês imaginam, um vampiro tem o privilégio de frequentar diversos ambientes… Tempos atrás falei aqui do caos e da imersão que fiz em um centro antigo e hoje falarei de Margot. Nome fictício de uma dama da sociedade vampírica,…

Depois do lixo

high angle view of cityscape against cloudy sky

Eis que o tempo no lixo havia passado e na noite seguinte eu procurei um local mais amistoso. Bairro misto com comércios e prédios residências, muitas pessoas circulando pelas ruas, até perto das 23h e o mais importante: limpo! Por…

Noites atrás

man wearing yellow overall pants between buildings

Algumas noites se passaram desde o momento em que fiz uma imersão em minhas andanças passadas. Isso foi de extrema importância para que eu pudesse refletir e até mesmo concentrar-me para produzir alguns escritos. Foram noites desapegadas num quarto de…

Me arrrependo…

Dos abraços que não dei Do amor que perdi,  Dos erros que cometi,  Até de tudo o que sofri. Se tivesse sido diferente,  A dor inerente, não estaria aqui.  As lágrimas rolam, se copiam sem cessar.  Será que essa dor…